???item.export.label??? ???item.export.type.endnote??? ???item.export.type.bibtex???

Please use this identifier to cite or link to this item: http://tede.biblioteca.ufpb.br:8080/handle/tede/4264
???metadata.dc.type???: Dissertação
Title: Proteína C reativa e síndrome metabólica em crianças e adolescentes obesos e não obesos: relação com consumo alimentar
???metadata.dc.creator???: Borba, Vanessa Vieira Lopes 
???metadata.dc.contributor.advisor1???: Filizola, Rosália Gouveia
First advisor-co: Lima, Roberto Teixeira de
???metadata.dc.description.resumo???: A Síndrome Metabólica (SM) consiste em um conjunto de anormalidades metabólicas, descritas inicialmente em adultos, mas encontrada também na população pediátrica. As suas características englobam: obesidade, hipertensão arterial sistêmica, dislipidemia, intolerância à glicose e resistência insulínica. Todos esses fatores estão relacionados a questões genéticas, de comportamento alimentar e de hábitos de vida. A Proteína C Reativa (PCR), um marcador de atividade inflamatória, vem sendo relacionada como preditor de doenças cardiovasculares, e apresentam interrelações com alguns dos critérios da síndrome metabólica. Apesar desta síndrome não ter consenso em seu diagnóstico em crianças e adolescentes, faz-se a sua adaptação daqueles critérios utilizados para os adultos. Este estudo teve o objetivo de analisar a frequência e as características da síndrome metabólica em crianças e adolescentes obesos e não obesos, correlacionando-as com níveis de PCR, consumo alimentar e resistência insulínica. Selecionaram-se dois grupos, pareados por sexo e idade: um de 65 crianças e adolescentes entre oito e quinze anos, obesos, e o outro com 30 não obesos. Foram excluídos da amostra portadores de endocrinopatias e uso de fármacos que interferissem no metabolismo intermediário. Realizaram-se as medidas antropométricas de peso, altura, índice de massa corporal (IMC) e circunferência de cintura, além da verificação da pressão arterial. Também se realizaram as dosagens bioquímicas, o ensaio ultra-sensível para análise do PCR e a determinação da resistência insulínica, calculada pelo Homeostasis Model Assessment (HOMA-IR). Dentre as diversas propostas para definição da síndrome metabólica, selecionou-se aquela adaptada por Cook et al. Aplicou-se um questionário de frequência de consumo alimentar e processaram-se os dados pelo programa Dietsys. O valor médio do grupo de obesos foi: idade de 10,61(±1,8) anos e IMC de 28,18(±4,13) kg/m², já no grupo dos não obesos, idade média de 10,8 (±2,1) anos e IMC de 17,79 (±2,2) kg/m². A frequência de síndrome metabólica foi de 49% nos obesos e de 6% nos não obesos, não havendo diferença significativa entre sexo, idade ou estadiamento puberal e a SM. No grupo de obesos, os valores de PCR, circunferência abdominal, pressão arterial sistêmica, IMC e as médias de triglicerídeos, foram significativamente maiores. Ainda houve significância estatística entre LDL, glicemia de jejum, HOMA-IR e baixos níveis de HDL. Comparando as médias de consumo alimentar entre esses grupos, houve diferença significativa entre as variáveis: calorias ingeridas, potássio, sódio, proteínas, fibras, zinco e magnésio, apresentando-se maiores no grupo obeso. Ao se aplicar o modelo de regressão linear múltiplo foi encontrada uma relação linear entre PCR (variável independente) e IMC (dependente) com p-valor = 0,0000. O mesmo não foi verificado com índice HOMA-IR, ou com os outros componentes da SM. A Síndrome Metabólica parece ter a obesidade como epifenômeno, a partir da qual os seus outros componentes se associam. Os níveis de PCR se correlacionam diretamente com a obesidade, por meio do IMC, podendo integrar o elenco de critérios no diagnóstico da SM nessa população. A resistência insulínica medida pelo índice HOMA-IR não se constitui parâmetro de síndrome metabólica na criança e no adolescente.
Abstract: The metabolic syndrome (MS) consists of a set of metabolic abnormalities, initially described in adults, but also found in the pediatric population. Its features includes: obesity, systemic arterial hypertension, dyslipidemia, glucose intolerance and insulin resistance. All these factors are related to the genetic issues, to the feeding behavior and habits of life. The Creactive protein (CRP), a marker of inflammatory activity, has been relating as a predictor of cardiovascular disease, and presents interrelations with some of the metabolic syndrome criteria. Even though this syndrome does not have consensus on its diagnosis in children and adolescents, it adapts on those criteria used for adults. This study aimed to analyze the frequency and its characteristics of the metabolic syndrome in obese and non-obese children and adolescents, correlating them with the CRP, food intake and insulin resistance. Two groups were selected, matched by age and sex: one of 65 children and adolescents between eight and fifteen years old, obese; and the other with 30 non-obese. They excluded from the sample of patients with endocrine disorders and the use of drugs that interfere in the intermediary metabolism. Anthropometrics measurements were also realized: weight, height, corporal mass index (BMI) and waist circumference, in addition to the measuring blood fissure. Biochemical measurements were also realized, the ultra-sensitive test to analyze the CRP and the determination of the insulin resistance, calculated by Homeostasis Model Assessment (HOMA-IR). Among the various proposals to the definition of the metabolic syndrome, was selected the one adapted by Cook et al. A questionnaire of frequency of food consumption was applied and processed the data by the Dietsys Program. The average value of the obese group was the age of 10,61 (#1,8) years and BMI of 28,18 (#4,13) kg/m2; already the average value of the non-obese group was the age of 10,8 (#2,1) years and BMI of 17,79 (#2,2) kg/m2. The frequency of the metabolic syndrome was 49% in obese and 6% in nonobese, no significant difference between sex, age or pubertal staging and the SM. In the obese group, the CRP, abdominal circumference, systemic blood pressure, BMI and the stacks of triglycerides, were significantly higher. Yet there were differences between LDL, fasting glucose, HOMA-IR and low levels of HDL. Comparing the mean food consumption among these groups, there was significant difference among the variables: calories, potassium, sodium, protein, fiber, zinc, magnesium. When applying the linear regression model was found a linear relationship between CRP (independent variable) and BMI (dependent variable) with p-value = 0, 0000. The same was not verified by HOMA-IR index, or with other components of MS. The metabolic syndrome seems to have obesity as epiphenomena, from which its other components are associated. CRP levels correlate directly with obesity, using BMI, which may be cast on criteria in the diagnosis of MS in this population. The insulin resistance index measured by HOMA-IR is not the parameter of metabolic syndrome in children and adolescents.
Keywords: Síndrome metabólica
Pediatria
Proteína C reativa
Consumo alimentar
Metabolic syndrome
Pediatrics
C-reactive protein
Food consumption
???metadata.dc.subject.cnpq???: CIENCIAS DA SAUDE::NUTRICAO
Language: por
???metadata.dc.publisher.country???: Brasil
Publisher: Universidade Federal da Paraí­ba
???metadata.dc.publisher.initials???: UFPB
???metadata.dc.publisher.department???: Ciências da Nutrição
???metadata.dc.publisher.program???: Programa de Pós-Graduação em Ciências da Nutrição
Citation: BORBA, Vanessa Vieira Lopes. Proteína C reativa e síndrome metabólica em crianças e adolescentes obesos e não obesos: relação com consumo alimentar. 2011. 91 f. Dissertação (Mestrado em Ciências da Nutrição) - Universidade Federal da Paraí­ba, João Pessoa, 2011.
???metadata.dc.rights???: Acesso Aberto
URI: http://tede.biblioteca.ufpb.br:8080/handle/tede/4264
Issue Date: 27-Jul-2011
Appears in Collections:Programa de Pós-Graduação em Ciências da Nutrição

Files in This Item:
File SizeFormat 
arquivototal.pdf2.18 MBAdobe PDFDownload/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.