???item.export.label??? ???item.export.type.endnote??? ???item.export.type.bibtex???

Please use this identifier to cite or link to this item: http://tede.biblioteca.ufpb.br:8080/handle/tede/4944
???metadata.dc.type???: Tese
Title: A racionalidade comunicativa como ágora de processos educativos emancipatórios
???metadata.dc.creator???: Medeiros, José Washington de Morais 
???metadata.dc.contributor.advisor1???: Brennand, Edna Gusmão de Góes
???metadata.dc.description.resumo???: Este estudo tem como objeto a lógica tecnicista do agir pedagógico, fundamentando-se na racionalidade comunicativa. Considerando esse modelo de razão voltado à utopia da emancipação humana, subsidia-se na Teoria da Ação Comunicativa (TAC) de Jürgen Habermas. Contextualiza as invasões a que os processos educativos estão sujeitos na contemporaneidade, promovidas pelo acoplamento do mundo sistêmico sobre o mundo vivido. Objetivou compreender a dinâmica tecnicista do agir pedagógico, à luz da TAC, partindo da seguinte tese: a lógica do tecnicismo na educação obstrui os ideais da educação emancipatória. Por intermédio do método hermenêutico, buscou referir as possibilidades de emancipação, a partir da racionalização do mundo vivido e de suas três esferas universais: a) cultura, através de processos educativos fundadores de reavaliação de valores morais e éticos pré-estabelecidos; b) sociedade, através de normas consensuais que só se tornam válidas diante de argumentações inteligíveis e sensivelmente dispostas a redefinições; c) personalidade, através de um desenvolvimento cognitivo além do mentalismo, perpassando a evolução de uma consciência moral que elabora estágios de relações intersubjetivos. Como resultado do beco sem saídas da educação, oportuniza pensar o quanto a racionalidade comunicativa tem perdido espaços para a racionalidade instrumental, surgindo diversas patologias sociais. Em razão disso, discute que os canais naturais e públicos dos espaços comunicativos (linguagem como medium) são deteriorados por meio dos veículos interpostos pelos imperativos sistêmicos (dinheiro e poder como artífices) da sociedade capitalista ocidental. Percebe que os efeitos das colonizações da razão instrumental, nas esferas cognitivas, expressivas e normativas, interferem severamente nas formações sociais e comprometem a racionalização do mundo vivido. Assim, as circunstâncias trazidas pelos domínios extranaturais da educação facilitaram a entrada de um conjunto de imposições na escola, desde a regeneração da filosofia do sujeito (hiperindividualismo) até a normatização instrutiva da educação tecnificada. Visando desocultar a gênese das atrofias educacionais, conclui que a racionalidade comunicativa pode ser entendida como uma nova ágora : uma fecunda alternativa para incitar uma reviravolta linguística nas mediações do sujeito, na interação com o outro, com o conhecimento, com as imagens (religiosas e metafísicas) de mundo. Enfatiza que a racionalidade comunicativa pode subsidiar processos educativos muito além das ideologias funcionais e linearmente induzidas pela tecnificação do pensamento, possibilitando o levante reflexivo da razão diante da promoção de uma educação que se coloca aberta à multiplicidade de vozes da racionalidade. Finaliza destacando que, para o fortalecimento do mundo vivido, o paradigma da racionalidade comunicativa propicia o desenvolvimento progressivo da competência humana que, sob o ideário da educação emancipatória, torna-se a utopia a ser buscada como critério para a evolução social.
Abstract: This study has as object the technicist logic of the pedagogical acting, based on the communicative rationality. Considering this model of reason concerning the utopia of human emancipation, it is hooked on the theory of the Communicative Action (TCA) by Jürgen Habermas. It contextualizes the invasions to which the educative processes are subjected in the contemporaneity prometed by the inbrication between the systemic and the lived worlds. It aimed at understanding the technicist dynamics of the pedagogical acting under the domains of TCA, starting from the following thesis: the technicist pedagogy is a kind of manifestation of the instrumental rationality present in the world lived within school. Through the hermeneutic method, it went in search of the possibilities of emancipation, going from the rationalization and its three universal spheres: a) culture, through educative processes which found the reevaluation of moral and ethical values formerly established; b)society, through consensual norms that only become valid before intelligible argumentations sensitively inclined to redefinitions; c) personality, through a cognitive development beyond mentalism, passing by the evolution of a moral conscience that elaborates stages of intersubjective relations. As a result of the deadlock of education, it brings the possibility to think how much the communicative rationality has lost spaces for the instrumental rationality, consequently coming up several social pathologies. On account of this, it discusses that natural and public channels of the communicative spaces (language as a medium) are deteriorated by the vehicles placed by the systemic imperatives (money and power as craftsmen) of the Western capitalist society. It perceives that the effects by the colonizations of the instrumental reason in the cognitive, expressive and normative spheres interfere much in social formations, binding the rationalizations of the lived world. Thus, the circumstances brought by the extranatural domains of educations facilitated the coming of a set of impositions at school, since the regeneration of the philosophy based on the subject (hyperindividualism) until the instructive normalizations of the technified educations. Aiming at uncovering the genesis of the educational atrophies, it concludes that the communicative rationality can be understood as a new agora ; a fertile alternative to incite a linguistic overturn in the mediations of the subject, in the interactions with others, with the knowledge, with the images (religious and metaphysical) of the world. It emphasizes that the communicative rationality can subsidize educative processes beyond functional ideologies linearly induced by the tecnification of thinking. A reflexive reason that promotes a sort of educations that is open to the multiple voices of rationality. It ends highlighting that, to strengthen the lived world, the paradigm of the communicative rationality propitiates the progressive development of human competence which, under the idea of emancipator education, the utopia of which one is in search becomes a criterion for social evolution.
Keywords: Racionalidade comunicativa
Racionalidade instrumental
Pedagogia tecnicista
Educação emancipatória
Jürgen Habermas

Communicative rationality
instrumental rationality
technicist pedagogy
emancipator education
Jürgen Habermas
???metadata.dc.subject.cnpq???: CNPQ::CIENCIAS HUMANAS::EDUCACAO
Language: por
???metadata.dc.publisher.country???: BR
Publisher: Universidade Federal da Paraí­ba
???metadata.dc.publisher.initials???: UFPB
???metadata.dc.publisher.department???: Educação
???metadata.dc.publisher.program???: Programa de Pós Graduação em Educação
Citation: MEDEIROS, José Washington de Morais. A racionalidade comunicativa como ágora de processos educativos emancipatórios. 2011. 227 f. Tese (Doutorado em Educação) - Universidade Federal da Paraí­ba, João Pessoa, 2011.
???metadata.dc.rights???: Acesso Aberto
URI: http://tede.biblioteca.ufpb.br:8080/handle/tede/4944
Issue Date: 7-Apr-2011
Appears in Collections:Programa de Pós-Graduação em Educação

Files in This Item:
File SizeFormat 
arquivototal.pdf1.17 MBAdobe PDFDownload/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.